sexta-feira, 28 de abril de 2017

'Achei que seria mais fácil', diz Trump sobre ser presidente




Ele tem saudade de dirigir, se sente como se estivesse em um casulo, e está surpreso com como seu novo trabalho é difícil. O presidente Donald Trump na quinta-feira (27) refletiu sobre seus primeiros 100 dias no gabinete com um olhar sobre sua vida antes da Casa Branca.

"Amava a minha vida anterior. Tinha tantas coisas acontecendo", disse Trump em entrevista à Reuters. "Isso aqui é mais trabalho do que minha vida anterior. Pensei que seria mais fácil."

Sendo um rico homem de negócios de Nova york, Trump assumiu um cargo público pela primeira vez quando entrou na Casa Branca no dia 20 de janeiro, depois de ter derrotado a ex-secretária de Estado Hillary Clinton.

Mais de cinco meses depois de sua vitória, e a dois dias da marca de 100 dias de sua presidência, a eleição ainda está na mente de Trump. No meio de uma discussão sobre o presidente chinês Xi Jinping, o presidente fez uma pausa para distribuir cópias do que ele disse serem os últimos números do mapa eleitoral de 2016.

"Aqui, você pode pegar isso, esse é o mapa final dos números", disse o presidente republicano em sua mesa no Salão Oval, distribuindo mapas dos Estados Unidos com áreas em que ele ganhou marcadas em vermelho. "É muito bom, certo? O vermelho obviamente somos nós."

Ele tinha cópias para cada um dos três repórteres da Reuters presentes na sala.

Trump, que disse que estava acostumado a não ter privacidade em sua "velha vida", expressou surpresa pelo pouco que tem agora. E deixou claro que ainda estava se acostumando a ter proteção 24 horas do Serviço Secreto, com as restrições que isso acarreta.

"Você está realmente no seu pequeno casulo, porque você tem uma proteção tão grande que você não pode ir a lugar algum", disse ele.

Quando o presidente sai da Casa Branca, é geralmente em uma limusine ou um SUV.

Ele disse que sente falta de estar atrás do volante.

"Gosto de dirigir", disse ele. "Não posso dirigir mais."

Ele frequentemente se volta a amigos externos e ex-colegas de trabalho para aconselhamento e apoio. Os assessores sêniores dizem que estão resignados com isso.

O presidente tem brigado com muitas organizações de imprensa desde sua campanha eleitoral e decidiu não comparecer ao Jantar dos Correspondentes da Casa Branca em Washington no sábado porque sente que havia sido tratado injustamente pela mídia.

"Eu posso ir no próximo ano, definitivamene", disse Trump quando perguntado se ele iria participar no futuro. O jantar é organizado pela Associação dos Correspondentes da Casa Branca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Catiripapu agradece a sua participação.